O QUE É VOD?

Neste artigo, vamos explicar o que é VOD, como ele funciona, o que o diferencia do streaming e a revolução causada nos hábitos de consumo audiovisual.

O Video On Demand (VOD), conhecido no Brasil como vídeo sob demanda, representa a  liberdade de escolha para os usuários acerca do conteúdo audiovisual a ser consumido a partir da banda larga e em inúmeros dispositivos, incluindo TVs e as telas de desktops, tablets e smartphones.

O VOD traduz a intolerância dos telespectadores com as engessadas grades de programação das TVs abertas e por assinatura. Escolher O QUE assistir e no HORÁRIO QUE MAIS CONVÉM (de preferência, com apenas um clique ou toque de botão) são exigências que ocasionaram uma grande revolução na forma com que os produtos audiovisuais são consumidos. E essa transformação não tem mais volta.

Os intervalos comerciais do formato tradicional das TVs abertas – e, em alguns casos, também nas assinaturas – representam um grande inconveniente para a experiência do usuário, pois, além de interromperem a exibição do programa, veiculam peças publicitárias muitas vezes desconectadas das preferências dos telespectadores.

Na grande maioria das plataformas de vídeo sob demanda não há interrupções comerciais. Pelo contrário: há imensos esforços no sentido da personalização da experiência do usuário, por intermédio da ação de algoritmos que aprendem preferências e orientam a sugestão de conteúdos adequados a cada perfil.

Quer saber mais sobre a importância da personalização dos conteúdos? Já escrevemos sobre o assunto nesse post.

Como funciona o VOD?

Neste cenário de insatisfação do público com as TVs tradicionais, o video on demand cresceu enquanto alternativa que apresenta maior controle sobre o que assistir, quando assistir e em qual plataforma.

Além do poder de escolha, há ainda a possibilidade de reassistir ao conteúdo por inúmeras vezes, pausar quando for conveniente ou escolher uma parte específica para ser visualizada.

Não há vídeo sob demanda sem a presença de banda larga. Por isso, a popularização do VOD se deve em muito ao crescente número de pessoas com acesso à internet e à variedade de dispositivos habilitados para acessá-la.

De acordo com o IBGE, quase 80% da população brasileira desfruta de algum tipo de acesso à web.

A revolução do video on demand

Com tamanha popularidade, a característica disruptiva do VOD naturalmente ocasionou transformações profundas, tanto comportamentais quanto em matéria de mercados e profissões.

As vídeo locadoras fecharam as portas e as assinaturas de TVs a cabo despencaram. Aliás, os aparelhos de TV, que antes reinavam absolutos como principais dispositivos para o consumo audiovisual doméstico, presenciaram a inevitável divisão do terreno com os desktops, os notebooks, os tablets e, mais recentemente, os smartphones.

Lembre-se do que foi dito anteriormente. O mantra do VOD é: “O que eu quero, na hora que me convier e no dispositivo que eu quiser”.

Como forma de sobrevivência, muitas emissoras de televisão – abertas e pagas – aderiram ao VOD, criando suas próprias plataformas (algumas com conteúdos exclusivos) e aplicativos para celulares que comportam transmissão ao vivo e vídeos sob demanda.

Você sabe qual é a diferença entre streaming e on demand?

Streaming

Tecnicamente, o conceito de streaming pode ser entendido como a transferência de dados na internet com o intuito de enviar informações multimídia de servidores para clientes. “Stream” significa “corrente de água”. O “streaming” vem daí: funciona como uma corrente que leva dados do servidor até o equipamento do cliente. A fluidez dessa corrente dependerá da qualidade da banda de internet do usuário.

Sendo assim, tudo o que você consome de vídeo ou música online é streaming. Todo o conteúdo multimídia que possa ser visto ou ouvido sem precisar fazer download e que possa ser consumido durante o seu carregamento é streaming.

Você deve estar pensando: “Mas então qual é a diferença entre streaming e on demand?”.

Agora você vai entender.

On Demand

Podemos dizer que todo conteúdo sob demanda é TRANSMITIDO por meio de streaming, mas nem tudo que é transmitido via streaming é conteúdo sob demanda.

Há também os conteúdos ao vivo do live streaming, e nesses casos há mudanças na tecnologia de transferência dos arquivos ou envio do sinal.

A origem da confusão entre os termos se deu quando as operadoras de televisão por assinatura passaram a disponibilizar os conteúdos para que os consumidores assistissem quando quisessem, vendendo essa funcionalidade apenas como on demand, sem dizer que também se tratava de streaming.

Resumindo: todo o video on demand é transmitido via streaming, mas nem tudo que é transmitido via streaming pode ser chamado de video on demand.

Números do video on demand/streaming no Brasil

De acordo com uma pesquisa realizada pela divisão de Mídia da Nielsen Brasil, o consumo de streaming passou a ser um hábito diário para 43% dos brasileiros durante a pandemia.

O estudo de 2020 apontou que apenas 2,5% das pessoas entrevistadas declararam nunca assistir nenhum conteúdo por meio de video on demand ou streaming.

73,5% dos respondentes afirmaram usar plataformas como Netflix, Globoplay e Amazon Prime, enquanto 63,8% utilizam sites de vídeos como YouTube e Vimeo.

De acordo com Sabrina Balhes, líder de Mídia da Nielsen Brasil, antes mesmo da pandemia da Covid-19, o Brasil já figurava entre os 10 maiores mercados consumidores mundiais de conteúdos sob demanda. Os números do levantamento deixam ainda mais evidente a capacidade de expansão do segmento no País.

“Os conteúdos sob demanda realmente se tornaram companheiros da população nos momentos mais complicados da pandemia. Neste sentido, a qualidade e a variedade do conteúdo oferecido pelas plataformas de vídeos e áudios é chave para atração e retenção de mais consumidores”, disse Sabrina.

Principais plataformas de VOD disponíveis no Brasil

Netflix

Apesar de ter começado como uma simples locadora de DVDs por correio, a Netflix tornou-se um dos serviços de streaming de vídeo mais influentes do mundo. A empresa foi uma das primeiras a entender o potencial da tecnologia e começou a fazer a transição para um modelo de assinatura  de vídeo sob demanda em 2007.

Desde essa transformação, a receita anual cresceu de 1,2 bilhão para mais de 11,6 bilhões em apenas dez anos. O número de assinantes da Netflix seguiu uma tendência semelhante, crescendo de menos de 23 milhões em 2011 para mais de 204 milhões em dezembro de 2020. Atualmente, o Brasil é o 3º maior mercado da plataforma em todo o mundo.

Uma das principais diferenças entre a Netflix e seus concorrentes é a enorme quantidade de conteúdo original. Foi a popularidade de programas como House of Cards, Stranger Things e Orange Is The New Black, entre tantos outros, que tornou essencial a programação original para o sucesso contínuo da empresa.

Amazon Prime Video

Segundo uma matéria publicada na Exame, o Prime Video, da Amazon, é serviço de streaming que mais se aproxima da Netflix em termos de usuários ativos. No final de 2020, o Prime Video contava com mais de 150 milhões de assinantes mundo afora.

Mas a estratégia da plataforma de VOD da Amazon é diferente: além do streaming, a assinatura inclui vários serviços, como frete grátis para as compras, um aplicativo de música e um acervo de livros para o leitor digital Kindle.

Antes considerado o maior acervo de filmes ou séries disponíveis online, o atual catálogo do Prime Video também conta com mais de 250 produções originais, a exemplo da badalada série sobre o “lado negro dos super-heróis”, The Boys. Dentre os conteúdos licenciados, destaca-se a aclamada série de comédia The Office.

E o mais interessante: tudo esse combo por R$ 9,90 mensais.

HBO GO

A HBO é o melhor exemplo de adaptação de um canal de TV paga para o mercado do SVOD (Subscription Video on Demand – Vídeo Sob Demanda por Assinatura).

A plataforma HBO GO é uma verdadeira usina de produção de conteúdo de qualidade. Seu acervo é menor do que o da maioria dos concorrentes, mas, em compensação, várias de suas produções ocupam espaço cativo na história da cultura pop contemporânea. Pense nas séries Game of Thrones, The Sopranos, True Detective, Westworld, Band of Brothers e The Wire, entre tantas outras. Sem falar em seus filmes produzidos para a TV.

O assinante da plataforma tem acesso a todo conteúdo exclusivo da HBO, o qual inclui , além das séries, um catálogo com milhares de filmes.

Detalhe: a HBO Max, que reúne todo catálogo de produções da Warner Media (mais o da HBO, além de projetos originais) ainda nem chegou aqui. A previsão para o acesso à plataforma no Brasil é em junho de 2021.

Segundo o Hollywood Reporter, a HBO Max fechou o ano de 2020 com 12,6 milhões de usuários ativos. Sua chegada à América Latina certamente fara esse número dar um salto considerável.

Disney Plus

Essa chegou incomodando a concorrência! Também, não é para menos: o acervo da Disney Plus conta com produções dos estúdios Pixar, National Geographic e das franquias Star Wars e Marvel (além da própria Disney, é claro).

De forma surpreendente, a plataforma alcançou 100 milhões de assinantes globais em 16 meses de vida. Uma parte do sucesso é atribuída às produções próprias, a exemplo das séries The Mandalorian (Star Wars) e WandaVision (Marvel).

Outro diferencial do serviço é o seu avanço tecnológico: resolução 4K, suporte a HDR e Dolby, compatibilidade com diversos dispositivos de reprodução, como Amazon Fire TV, Roku, Apple TV, Chromecast, Android, iOS, além dos consoles.

Apple TV+

Esse é o exemplo de menor sucesso no Brasil até momento…

Apple TV+  estendeu o período de testes dos seus assinantes até julho de 2021. Ou seja, a avaliação gratuita de um ano, iniciada em novembro de 2019, será acrescida em 9 meses.

Em vista da riqueza dos catálogos da concorrência, a presença de sucessos como The Morning Show e Ted Lasso, ou as produções próprias da Apple Originals, ainda não foram suficientes para fidelizar a audiência. Segundo o SVOD Tracker, 29% dos participantes de uma pesquisa afirmaram que não pretendem pagar pelo serviço quando o período de teste chegar ao fim.


Quantos destes serviços você já assina? Qual é o seu preferido? Tem alguma série que você esteja maratonando?

Conte nos comentários como é a sua relação com o VOD!

× Suporte Via WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: